Sistema CADÚNICO da Caixa passa por problemas – Cidades estão sem acesso e prejudicam o atendimento do Bolsa Família

A nova versão do Sistema do Cadastro Único, feito pela Caixa Econômica Federal foi disponibilizado para as prefeituras no último dia 07

Os usuários másters cadastrados, que em sua maioria são os gestores do Programa Bolsa Familia-PBF, deveriam estar habilitados e habilitar os entrevistadores do programa. Porém, as cidades estão tendo problemas justamente com esse novo cadastro.

A nova versão lançada pela Caixa no último dia 07, exige além do novo cadastramento, que os usuários acessem o sistema através de um aplicativo no celular personalizado, em duas etapas, onde somente eles tenham acesso ao sistema. Segundo a Caixa, essa mudança é para evitar fraudes no acesso e dar mais segurança para os usuários e até os dados de milhões de brasileiros que estão cadastrados no sistema CADÚNICO.

A nova plataforma está gerando instabilidades, e em alguns lugares, os usuários não estão conseguindo entrar no sistema.

Informe enviado para os gestores do PBF pela Caixa

Todos os gestores estão reclamando que eles estão bloqueados ou seus usuários também estão. Na cidade de Una, segundo o gestor Di Rusciolelli, desde a sexta feira retrasada, dia 29/06, o sistema não abre. Pois tanto ele, quanto os demais usuários não estão tendo acesso.

Segundo ele, todos os passos exigidos pelo sistema da Caixa, foram realizados, porém nenhum deles tem a permissão do sistema para utilizar ainda. “Já fizemos nosso cadastro, mas não conseguimos acessar, nem eu, o usuário master, estou achando o meu cadastro no sistema. Estamos há quase duas semanas sem atendimento no setor do Bolsa Família. Isso está prejudicando demais nossa população. Ainda mais em tempos de lista de averiguação cadastral realizada pelo Governo Federal, onde muitos cadastros na cidade foram bloqueados automaticamente por inconsistências de dados cadastrais e por não prestarem informações verídicas no cadastro“, disse o gestor Di Rusciolelli.

Problema afeta diversas cidades na Bahia e fora do estado

Em Itabuna, em uma matéria divulgada na TV Cabrália, a gestora do PBF na cidade, Carol Suzart, também se queixa dos problemas, pois segundo ela, o sistema está muito lento e por isso eles preferiram suspender o atendimento até a próxima quinta, dia 12.  Outras cidades fora do estado da Bahia, também já tiveram que suspender o atendimento devido as falhas do sistema, é o caso de São João da Barra no Rio de Janeiro (cliquem aqui para ver).

Ainda de acordo com o gestor de Una, todo o grupo de gestores que pertencem a Rede Litoral Sul de gestores do PBF, estão se queixando dos problemas. Diversas cidades da região estão passando por problemas e com o atendimento comprometido. Rusciolelli finaliza que em Una, por exemplo, não há previsão para retorno do atendimento ao público. “Entraremos em contato com a Caixa novamente e tentaremos resolver esse problema o mais rápido possível“, finalizou o gestor.

Ao todo, no Brasil,  quase 28 milhões de famílias estão inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais, o que corresponde a mais de 76 milhões de pessoas cadastradas. Dessas famílias cadastradas,  elas se dividem de acordo com a renda per capita mensal declarada, que tem: 12.768.611 famílias com renda per capita familiar de até R$ 85,00; 3.260.595 famílias com renda per capita familiar entre R$ 85,01 e R$ 170,00; 6.229.851 famílias com renda per capita familiar entre R$ 170,01 e meio salário mínimo; 5.206.397 famílias com renda per capita acima de meio salário mínimo.

O Programa Bolsa Família é o carro chefe do CADÚNICO, nele, no mês de junho de 2018, 13.736.341 famílias, receberam benefícios com valor médio de R$ 178,04. O valor total transferido pelo governo federal em benefícios às famílias atendidas alcançou R$ 2.445.679.196,00 no mês. (dados podem ser acessados aqui)

Conheça os 22 benefícios de estar cadastrado no CADÚNICO

O Cadastro Único fornece 22 benefícios ao cidadão. O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único) é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, permitindo que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica dessa população. Nele são registradas informações como: características da residência, identificação de cada pessoa, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras.

A partir de 2003, o Cadastro Único se tornou o principal instrumento do Estado brasileiro para a seleção e a inclusão de famílias de baixa renda em programas federais, sendo usado obrigatoriamente para a concessão dos benefícios do Programa Bolsa Família, da Tarifa Social de Energia Elétrica, do Programa Minha Casa, Minha Vida, da Bolsa Verde, entre outros. Também pode ser utilizado para a seleção de beneficiários de programas ofertados pelos governos estaduais e municipais. Por isso, ele é funciona como uma porta de entrada para as famílias acessarem diversas políticas públicas.

COMO SE CADASTRAR

Para se inscrever no Cadastro Único, é preciso que uma pessoa da família se responsabilize por prestar as informações de todos os membros da família para o entrevistador. Essa pessoa — chamada de Responsável pela Unidade Familiar (RF) — deve ter pelo menos 16 anos e, preferencialmente, ser mulher.

O Responsável Familiar é quem poderá garantir que as informações comunicadas durante a entrevista são verdadeiras, além de se comprometer a atualizar o cadastro sempre que houver mudanças na família.

O RF deve procurar o setor responsável pelo Cadastro Único ou pelo Bolsa Família na cidade em que mora. Se não souber onde fica o local de cadastramento, pode buscar essa orientação no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo de sua casa. Em muitas localidades, o próprio Cras realiza o cadastramento das famílias.

Vejam os 22 Benefícios:

Programa Bolsa Família
Benefício de Prestação Continuada
Tarifa Social de Energia Elétrica
Programa Minha Casa Minha Vida
Carteira do Idoso
Aposentadoria para Pessoas de Baixa Renda
Telefone Popular
Isenção de Pagamento de Taxa de Inscrição em Concursos Públicos
Programas Cisternas
Água para Todos
Bolsa Verde (Programa de Apoio à Conservação Ambiental)
Bolsa Estiagem
Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais/ Assistência Técnica e Extensão Rural
Programa Nacional de Reforma Agrária
Programa Nacional de Crédito Fundiário
Crédito Instalação
Carta Social
Serviços Assistenciais
Programa Brasil Alfabetizado
Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti)
Identidade Jovem (ID Jovem)
ENEM

Documentos obrigatórios
— Para o Responsável pela Unidade Familiar (RF), é obrigatória a apresentação do CPF ou do Título de Eleitor.

As exceções são as famílias indígenas e quilombolas:
– O RF da família indígena pode apresentar o CPF, o título de eleitor, mas também o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) ou outros documentos de identificação, como certidão de casamento, RG e carteira de trabalho;

Facebook Comments
Por favor, siga e compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial