APLB e SINFESPU realizam grande caminhada para exigir seus direitos

\r\n

DSCF5413

\r\n

\r\n

Os dois principais sindicatos da cidade de Una, APLB Núcleo Sindical dos trabalhadores em educação e o Sindicato dos Funcionários Públicos de Una-SINFESPU, realizaram uma caminhada para exigir a garantia de seus direitos tolhidos. Professores, trabalhadores da educação, servidores de diversas áreas, pais, mães, alunos das escolas municipais e estudantes universitários de Una percorreram as ruas da cidade. Estima-se, segundo os organizadores, um público de 350 a 400 pessoas.

\r\n

20160504_091923Aos gritos de: “Servidores na rua, prefeita a culpa é sua” e “Também quero ser primo” (fazendo uma alusão ao aumento de 27% de um primo da prefeita Diane Brito PT), os manifestantes fizeram uma caminhada pacífica e com várias falas. O presidente do SINFESPU, Jorge Kita, avaliou positivamente o evento e em suas falas pediu que a prefeita olhasse o lado do servidor que vem sofrendo com a perda do poder aquisitivo dos servidores. Ao nosso site, Kita disse que “a categoria está pedindo a revisão geral anual inflacionária de 11,28% conforme índice do INPC, que até hoje não teve, isso está na Constituição Federal, na Lei Orgânica do Município de Una e no Estatuto do Servidor. Não dói cumprir a lei prefeita”. Já o presidente da APLB, o professor e vereador José Jorge (PP) disse ao nosso site que “Está na hora de mandar a prefeita de volta para Ilhéus, e seus mercados, lugares de onde ela nunca deveria ter saído. O professor não está com o salário em dia, afinal, não recebemos o mês de dezembro de 2012 e muito menos o 13º do mesmo ano”.

\r\n

Além dessas reivindicações, os dois sindicatos também foram às ruas mostrar a indignação geral da cidade com o descaso nos postos de saúde, as escolas sem reformas, o aumento dos valores em cooperativas que estão sendo investigadas pelo Ministério Público Estadual, o fechamento de escolas na sede e zona rural da cidade, e ainda pelo corte dos direitos dos estudantesDSCF5391 universitários, que há anos, tiveram o direito de irem ao ônibus gratuito para suas universidades e a prefeita, desde 2015, cortou esse direito. O presidente da Associação de Estudantes Universitários, Di Rusciolelli, que está em licença, também cobrou os direitos dos seus colegas e disse que a atual gestão foi agraciada com mais de cinco ônibus amarelos do projeto Caminho para Escola, do governo federal, totalizando 12 na cidade, fazendo assim com que os valores que eram pagos pelos outros governos, diminuísse, segundo o estudante, antes os governos pagavam mais de R$40 mil reais mensais, hoje, com os ônibus amarelos, a prefeita poderia pagar R$10 mil reais nos três ônibus. “Eu tenho um sonho, e esse sonho é que os estudantes que irão sair do ensino médio, possam, a partir do ano que vem, em outro governo, ser beneficiados com o retorno de seus direitos, e não paguem pelo transporte. Se esse governo é de Deus, como se intitula, não quero está aqui quando o capeta governar”, terminou sua fala no protesto de hoje o jovem estudante.

\r\n

\r\n

Além dos sites Atitude em Una e Una News, a manifestação também contou com a presença da TV Santa Cruz e a matéria deverá ir ao ar no BATV de hoje as 19:00.

\r\n

Vejam mais fotos em galerias:

\r\n

Galeria 1

\r\n

\r\n

Galeria 2

\r\n

\r\n

Galeria 3

\r\n

\r\n

Galeria 4

\r\n

\r\n

Galeria 5

\r\n

\r\n

\r\n

\r\n

Vídeo 1:

\r\n\r\n

Vídeo 2:

\r\n\r\n

Vídeo 3:

\r\n\r\n

Vídeo 4:

\r\n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *