Não foi um partido que perdeu um cargo. Não foi uma gestora que perdeu sua melhor indicação. Foi a educação de toda uma cidade que perdeu um grande líder.

Por Di Rusciolelli – estudante de Jornalismo na Faculdade Unime – Itabuna, fundador e dono do Blog Atitude em Una.
Di Rusciolelli

 

Ontem a cidade foi pega de surpresa com o pedido de saída do secretário de Educação da cidade de Una, meu companheiro, o professor, o advogado, o mestre Gilberto Lisboa. Sua saída era cantada há tempos por aqueles que sempre o invejaram, seja por sua competência, inteligência e destreza, ou seja, pelo jeito carinhoso, meigo e simpático de tratar o público e ter toda uma categoria, praticamente, ao seu lado e o tendo como unanimidade, como o melhor nome para a educação da nossa cidade.
Gilberto é tão crânio, que essa é a segunda vez, que ele se torna secretário e de novo por capricho de alguns, por cobiça de outros, suas ações, seu jeito de ser e conduzir com maestria a educação, o cargo, a política e as pessoas, o levaram a sua saída. Da outra vez, após conduzir com primazia a Secretaria de Educação e praticamente dizer\nao ex-prefeito Dejair a maneira de como conduzir a prefeitura, em seu primeiro e excelente mandato, com Gilberto ao seu lado, a educação de Una deu um “boom”, a cidade transbordava educação e cultura, com grandes festivais de música, com construções de escolas, com projetos maravilhosos como o Arte na Praça, com reuniões com secretários e diretores em grandes hotéis e balneários da nossa cidade e região. A contratação de um regente de uma coisa que o município nunca tinha visto, uma tal de Fanfarra, que ajudou na formação, graças a ele e seu contratado, o Professor Nunes, de cidadãos de bem de nossa cidade e excelentes profissionais no mundo da música. Enfim, sua conduta foi brilhante. Estenderia noite e madrugada adentro digitando seus projetos e suas conquistas, naquela época. Mas em situações dignas de ratos, vis e cobras peçonhentas, Gilberto foi traído e armaram uma cilada para ele, que levou ao seu afastamento pelo prefeito da época.
Dessa vez, após ajudar a conduzir a então candidata e hoje Prefeita Diane, a sua brilhante vitória em outubro do ano passado, andar todo o município de Una, como ele bem costuma dizer, da região de Zé Soares à Comandatuba, entrando em casas pedindo voto e apresentando a sua candidata. Gilberto e sua família em seu golzinho verde visitaram casas e mais casas. E isso dava certeza aos professores, que o governo da então candidata Diane, teria o mesmo a frente da educação. O que fez com que os mesmos, em sua maioria, incorporassem a campanha da candidata Diane e saíssem ruas por ruas pedindo voto para a mulher que viria a se tornar a primeira prefeita de Una.

Após a vitória, o professor Gilberto começa uma verdadeira epopeia para garantir que as pessoas que iriam ajudá-lo a comandar a secretaria, se encaixassem no perfil da já Prefeita Eleita da cidade. Após a posse, o professor começou o seu maior desafio, pois todos esperavam dele, que ele fosse construir seus bons trabalhos e imprimir seu ritmo de gestão a frente da Pasta da Secretaria de Educação, Esporte e Cultura. Porém, mais uma vez, algumas pessoas, ligados a grupos políticos que sempre quiseram ver o professor Gilberto fora do poder, começaram a minar seus atos e pulverizar nas ruas de Una e até a passarem informações mentirosas, com o único intuito de destruir o professor Gilberto, seu grupo político, seu partido e o governo da Prefeita Diane.

Agora aos velhos ratos, se juntaram outras a pessoas baixas para puxar o tapete de um cidadão honrado e querido por todos. Gilberto sofreu esses três meses iniciais de 2013, esse sofrimento já passava para sua família e seus amigos e, todos já se questionavam se o professor deveria continuar ou não secretário. Gilberto como um guerreiro, persistiu na tentativa de vencer essas barreiras, porém, para não melindrar e por em xeque toda uma construção político-partidária, o Bispo do xadrez, preferiu se suicidar e se colocar em posição de corte (porém confortou há muitos) com seu pedido de exoneração do cargo, mas não da educação e muito menos da política. Tanto que pela mesma manhã que se colocou a disposição da Prefeita Diane, já protocolou seu pedido de retorno às salas de aula e pela tarde o mesmo já participava de uma reunião de seu partido para explicar sua decisão.

E assim, conforme dissemos em primeira mão pela manhã, chega, mais uma vez ao fim, o ciclo do mestre Gilberto a frente da Secretaria de Educação de Una. Onde partidos, diretores(as), professores(as), gestora e munícipes, enfim como disse no título, não perdem apenas um secretário, perdem um mártir da educação. Perdemos ontem aquele que melhor pensa a educação em nossa cidade, perdemos no cargo, aquele que melhor pensa a frente e no presente para o bem da educação da nossa cidade.

O pedido de saída do professor Gilberto foi bastante comentado nas redes sociais, nas ruas e aqui no Blog Atitude em Una. Sabemos muito bem que matérias com violência sempre dão audiência, mas hoje, por causa do carinho que muitos tem com esse nobre homem, a postagem com seu afastamento concorreu acesso por acesso e chegou a liderar o ranking da postagem mais acessada do dia, junto com a postagem do corpo encontrado no rio em Una e da morte de uma senhora, aparentemente por Dengue.

Professor Gilberto estaremos sempre contigo!

\n

\n

\n

\n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *