A “justiça” parece que foi feita dez anos depois. O presidente Obama anuncia a morte de Osama Bin Laden.

Una, 02 de Maio de 2011
\n
Retirado do site do G1
\n
EUA anunciam a morte do terrorista Osama bin Laden no Paquistão. Líder da al-Qaeda foi morto em operação dos EUA próximo a Islamabad. ‘Foi feita justiça’, disse Obama ao anunciar a morte, comemorada no país.
\n
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, confirmou em pronunciamento na TV na madrugada desta segunda-feira (2) a morte de Osama bin Laden, líder da rede terrorista da al-Qaeda, responsável pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA, que mataram cerca de 3.000 pessoas.
De acordo com Obama, a morte foi consequência de uma ação de inteligência do Exército norte-americano em parceria com o governo do Paquistão, que localizou o terrorista -que tinha entre 53 e 54 anos- durante a semana passada.
A operação, sigilosa, foi executada no domingo por um comando especializado da Marinha dos EUA. Um pequeno grupo de soldados conseguiu matar Bin Laden em uma fortaleza na cidade de Abbotabad, próximo a Islamabad, capital do Paquistão.

\n
\n

\n

\n

Em frente à Casa Branca, em Washington, multidão comemora o anúncio da morte de Osama bin Laden. (Foto: AP)

\n
‘Justiça’
“Foi feita justiça”, disse Obama. “Nesta noite, tenho condições de dizer aos americanos e ao mundo que os Estados Unidos conduziram uma operação que matou Osama Bin Laden, o líder da al -Qaeda e terrorista responsável pelo assassinato de milhares de homens, mulheres e crianças.”

\n

Segundo o presidente -que já lançou sua campanha à reeleição em 2012-, o corpo do terrorista está em poder das autoridades dos EUA.
Fontes do governo disseram à agência Reuters que o cadáver seria tratado de acordo com as tradições islâmicas.
\n
\n

\n

\n

Página do site de ‘mais procurados’ do FBI (polícia federal dos EUA) mostra o terrorista Osama bin Laden como “morto” nesta segunda-feira (2). Bin Laden foi morto em uma ação militar americana no Paquistão, quase dez anos após os atentados do 11 de Setembro. (Foto: Reuters)
\n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *