Polêmica da “Taça das Bolinhas” pode ter novo capítulo e reviravolta

A polêmica da Taça das Bolinhas pode não ter um ponto final nesta quarta-feira. E ganhar novos capítulos nos próximos dias. Quando se reuniu com Ricardo Teixeira na semana passada, Patrícia Amorim citou um documento assinado pelo presidente do Sport aceitando dividir o título de 1987 com o Flamengo. O presidente da CBF pediu, então, que ela o entregasse para ser encaminhado ao departamento jurídico, que estudava o caso. Mas a tal ata nunca chegou à entidade.

Agora, após a CBF declarar o São Paulo como o dono da “Taça das Bolinhas”, o documento finalmente apareceu. Foi divulgado pela assessoria do ex-presidente Marcio Braga. Trata-se de uma cópia de uma ata da Assembleia Geral do Clube dos Treze, em 1997, onde o Sport, para passar a fazer parte da entidade, precisava aceitar dividir o título de 1987 com o Flamengo. Junto com a divulgação do documento, a assessoria de Marcio Braga acusou o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, de jamais tê-lo encaminhado à CBF.

De qualquer forma, uma pessoa da cúpula da CBF disse à coluna que se o Flamengo apresentar o documento existe a chance de o presidente Ricardo Teixeira analisar novamente o caso. O Sport continuaria sendo o campeão brasileiro daquele ano já que há uma decisão em última instância do Superior Tribunal de Justiça e a CBF nada pode fazer em relação a isso. Mas a “Taça das Bolinhas” poderia parar na Gávea já que todos os clubes – inclusive o São Paulo – aceitaram que o título de 1987 seria dividido entre Sport e Flamengo. Resta saber se Patrícia Amorim, que convocou uma coletiva para esta quinta-feira, tem o documento em mãos.

No último fim de semana, Marcio Braga pediu a Patrícia Amorim para apoiar Kleber Leite na eleição para a presidência do Clube dos 13 contra Fábio Koff. Isso porque nas contas dos aliados de Kleber Leite, a votação estaria empatada por 10 a 10 (e com a igualdade Koff venceria por ser o candidato mais velho, como prevê o estatuto). A mudança de posição do Flamengo daria a vitória ao ex-presidente rubro-negro. Mas Patrícia Amorim não aceitou trocar o voto e, diante disso, Bahia e Fluminense também resolveram deixar Kleber Leite e ir para o lado vencedor. No fim, Fábio Koff levou por 12 a 8.

Ficam as perguntas: Por que Marcio Braga, presidente do Flamengo até o ano passado, nunca levou o documento à CBF? Ou mesmo o Clube dos Treze? E por que o documento só apareceu agora?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *