RIP: A Guarda Civil Municipal de Una acabou – Opinião

Texto de Di Rusciolelli – Estudante cursando o sétimo semestre de jornalismo na Unime de Itabuna, fundador do site Atitude em Una.

A Guarda Civil Municipal de Una está na UTI, ou quiçá morta, acabada, aniquilada, desfacelada.

Além da falta de material, principalmente a sua viatura, a guarda hoje está com problemas de gerência. Tiraram completamente a autonomia dos homens e mulheres valorosos da corporação. A atual gestão rebaixou a guarda a somente guarda de patrimônio, o que era antes da PL 39.

Nossa guarda já foi pujante, era o suporte da Polícia Militar e ajudava no combate a violência. Talvez por isso, pela “morte” da guarda, a violência na cidade só aumentou. Pequenos furtos acontecen diariamente em Una, e poucos ficam sabendo. Mas, há vítimas que, como antes, vão procurar os guardas. Ao chegar neles, se deparam com a proibição de agir e até na falta de incentivos e de uma viatura. Agora, depois que mais uma vez o Fiat Uno da guarda foi escanteado nos fundos do prédio da prefeitura, arranjaram uma moto que também não funciona essas coisas todas e deixa o efetivo mais fraco e exposto.

O carro da guarda está com a direção batendo, somente um farol acende, as suspensões todas sem buchas a dianteira e traseira. Os bancos estão rasgados. Depois que eu postei uma foto no meu facebook, onde mostrava que a tampa do tanque de combustível era uma sacola, providenciaram uma tampa alternativa, mas a sacola permanece lá. O carro da guarda ultimamente só serve, quando está funcionando, para acompanhar velórios. Há quem diga que a própria prefeita tem vergonha de expor o carro da guarda em eventos. Vejam as fotos abaixo de como está a viatura:

E como se não bastasse esses problemas supramencionados, a prefeita cortou a hora extra dos profissionais. Tenho até notícia de que ela não quer mais pagar o adicional de risco, a chamada periculosidade e nem insalubridade, pois muitas vezes, os guardas fazem papel de socorristas, e é incansável, a quantidade de vezes que eles lhe dão com doentes mentais. Os guardas ficam no hospital guarnecendo eles quando estão internados. Eles ainda prestam auxílio ao SAMU,  quando a ambulância é chamada para emergências com doentes mentais ou pessoas com alguma deficiência motora.

A queixa dos profissionais é constante, alguns deles me relataram que estão trabalhando sem motivação, principalmente depois do corte da nossa hora extra. Hoje, eles recebem um salário minino seco e quem trabalha a noite recebe um mínimo adicional. Nada mais que isso.

A Guarda Civil Municipal de Una merece mais respeito. Mas fizeram o contrário, destruíram a valorosa corporação.


Comentários fechados.