MÉXICO: Professores morreram salvando crianças em escola destruída por terremoto de magnitude 7.1

Informações do Jornal O Globo

\r\n

O tremor de magnitude 7,1 deixou ao menos 216 mortos, sendo quase metade das vítimas na capital, exatos 32 anos depois de um terremoto devastador em 1985 e menos de duas semanas depois que um poderoso tremor matou quase 100 pessoas no sul do país.

\r\n\r\n\r\n

Bombeiros trabalhando nos escombro de escola que foi destruída – Foto: Gerardo Carrillo / AP
\r\n\r\n \r\n

Uma escola da Cidade do México torna-se o símbolo da tragédia provocada por um forte terremoto de magnitude 7,1 que abalou ontem cinco estados mexicanos. A instituição Enrique Rebsamen colapsou em decorrência do tremor com vários alunos nas suas instalações. Até a manhã desta quarta-feira, o balanço era dramático: entre as vítimas fatais, 22 alunos e dois professores, que morreram na tentativa de salvar os seus alunos, segundo o jornal local

\r\n

O governo disponibilizou 3.400 soldados para resgates na Cidade do México. Pessoas ficaram presas dentro de várias construções que se incendiaram na Cidade do México, disse uma autoridade de proteção civil à TV local. A televisão mexicana e as mídias sociais mostraram que alguns edifícios desabaram e carros ficaram esmagados por enormes blocos de concreto.

\r\n\r\n\r\n

Danos em construção na Cidade do México após terremoto 19/9/2017 REUTERS/Carlos Jasso
\r\n

As famílias se desesperam com a falta de notícias sobre as pelo menos 30 crianças desaparecidas, enquanto socorristas trabalham sem parar na tentativa de encontrar sobreviventes. A madrugada foi de lágrimas, aflição e intensas operações de resgate no local.

\r\n

Os bombeiros conseguiram fornecer oxigênio através de aparelhos para uma menina presa dentro dos escombros. Enquanto soldados retiravam crianças dos escombros, Adriana D’Fargo, mãe de uma criança de 7 anos que estava na escola, viva momentos de aflição. Ela estava desesperada para ter notícias da sua filha.

\r\n 


Comentários fechados.