Mais de 220 mil benefícios do Bolsa Família são cancelados ou bloqueados na BA

Em Una foram 119 cancelados  ao longo de 2017 e 64 bloqueados por subdeclaração de renda. Essas famílias podem responder a processos.

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) encontrou irregularidades em diversos benefícios do programa Bolsa Família em todo Brasil. Somente na Bahia, mais de 220 mil pessoas tiveram o benefício bloqueado ou cancelado. Essa ação foi realizada, após um cruzamento de dados apontar irregularidades no recebimento do benefício do governo federal. A Bahia é o segundo estado em número de cancelamentos e de bloqueios no programa.

A investigação da CGU aconteceu no período de agosto de 2016 a agosto de 2017 e identificou que algumas famílias não informaram adequadamente a sua situação financeira. Os órgãos competentes que realizaram o cruzamento de dados, para efetuar essas suspensões, a CGU comparou gastos e renda das famílias em busca de possíveis fraudes. Isso foi feito usando informações do Cadastro Único declaradas pelos beneficiários quando se inscreveram no programa e outros dados oficiais da base do Ministério da Transparência. Além disso, foram verificados, entre outros pontos, vínculos empregatícios, aposentadorias e a situação de pensionistas. Muitas vezes, as famílias, na hora do cadastro, omitem informações que mal sabem elas, o governo poderá identificar lá na frente. Sem contar que os municípios realizam visitas para ver as situações das famílias. Vale lembrar que, se condenadas ao final do processo de investigação, as famílias que receberam o Bolsa Família irregularmente terão que devolver o valor integral.

O próximo passo que a CGU irá executar, será uma investigação para identificar quem são exatamente as famílias que recebiam o pagamento irregularmente. Até o momento, sabe-se que essas  pessoas passaram informações falsas sobre a renda no momento do cadastro que é executado pelos municípios em todo o Brasil.

bolsa-familia-cancelado

Una também está na lista

Ao todo na cidade de Una, 119 famílias tiveram, ano passado, os seus benefícios cancelados por omissão de informações. Já outras 64, tiveram os benefícios bloqueados por subdeclaração de renda, ou seja, detém posses, mas não declararam no momento do seu cadastro.

Vale ressaltar que as próprias regras do Programa Bolsa Família, segundo a gestão do programa municipal, é auto declaratória, ou seja, as famílias que devem declarar o que tem ou não em suas casas.  “Mediante uma entrevista, onde são feitas diversas perguntas, as pessoas tem a oportunidade de falarem qual a real situação de sua família. Em 2017, tivemos mais de 570 cadastros aprovados no Bolsa Família. Estamos acompanhado de perto as investigações da CGU e iremos, como fizemos em 2017, contribuir com todas as informações possíveis“, afirmou a secretária de desenvolvimento social, Jaqueline Barone. O Atitude em Una fez contato com a secretária via telefone.

Outras cidades onde beneficiários receberam de forma indevida

Como mencionado acima, a Bahia foi um dos estados onde as famílias mais omitiram informações. A operação, quase um pente fino da CGU detectou irregularidades no pagamento do Bolsa Família em praticamente todos os municípios. Foram cancelados, por omissão de informações, cadastros em localidades como Almadina (53), Aurelino Leal (61), Arataca (68), Barro Preto (57), Buerarema (67), Camacan (154), Canavieiras (127), Coaraci (147), Floresta Azul (42), Ibicaraí (117), Ibirapitanga (62), Itacaré (106), Itagibá (69), Itajuípe (65), Itapé (34), Itapitanga (40), Jussari (51), Mascote (58), Pau Brasil (52), Santa Luzia (52), Ubatã (46), Uruçuca (98) e Ubaitaba (75). Além disso, as cidades “pólos” Itabuna e Ilhéus, tiveram, respectivamente, 760 e 667 famílias.


Comentários fechados.