Prefeitura de Una apreende caminhão que distribuia gás de maneira irregular

Segundo informações  retiradas do site irmão  Una New,  na manhã de hoje  (01/12)  um caminhão da empresa GMS Distribuidora da Nacional Gás da cidade de Ilhéus, carregado com botijões de gás foi apreendido pela fiscalização da tributação do município de Una.

15321622_209021062880458_1856864411_o

Caminhão da GMS Distribuidora apreendido na cidade de Una (Foto: Una News)

 

O fiscal de Tributos Jorge Santos Nogueira, disse que a apreensão aconteceu porque a referida empresa não tem autorização da Prefeitura Una pra comercializar dentro do município. “O caminhão será liberado, mas, os botijões ficarão apreendidos até que a empresa pague a multa e regularize comercialização no município” disse Jorge

15301159_209021069547124_964500707_n

A Guarda Civil Municipal em apoio aos fiscais (Foto: Una News)

O apoio da Guarda Civil Municipal foi solicitado para efetuar o procedimento de apreensão do veículo junto à mercadoria. Os botijões se encontram aprendido no Anexo da Prefeitura.


Policia Federal confirma: Enem vazou

Polícia Federal confirmou, nesta quinta-feira 1º, que as provas do primeiro Enem conduzido pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, vazaram. A PF apontou estelionato qualificado e disse que ao menos duas pessoas foram beneficiadas com o vazamento; crime compromete a ‘lisura’ do exame, afirma procurador.

mendonca_enem_vazou

 

Em relatório da PF enviado ao Ministério Público Federal, a PF apontou o cometimento de crime de estelionato qualificado e disse que ao menos duas pessoas foram beneficiadas com o vazamento da prova antes de sua aplicação.

No dia 6 de novembro, segundo dia de prova do Enem, candidatos foram presos em operação da PF no Ceará e no Amapá. Eles sabiam antecipadamente o tema da redação – Intolerância religiosa -, que foi aplicada a quase seis milhões de candidatos em todo o País.

“Uma quadrilha organizada nacionalmente teve acesso antecipado às provas. Isso compromete a lisura do exame e a própria credibilidade da logística de segurança que vem sendo aplicada”, afirmou o procurador da República Oscar Costa Filho, em nota.

Ele informou que a íntegra do relatório e peças do inquérito serão anexadas ao recurso do MPF que tramita no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Recife (PE).

Retirado do 247


Joaquim Barbosa chama impeachment de “encenação”. “Bem que avisei”, disse ministro

Em entrevista o ex-ministro Joaquim Barbosa chama impeachment de “encenação”. “Bem que avisei”, disse ministro

"Bem que avisei", disse ministro
“Bem que avisei”, disse ministro

O ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, concedeu uma entrevista para o jornal Folha de S. Paulo que foi publicada hoje (1), para o ex-ministro o impeachment foi uma “encenação” que fez o país retroceder a um “passado no qual éramos considerados uma República de Bananas”.

“O que houve foi que um grupo de políticos que supostamente davam apoio ao governo num determinado momento decidiu que iriam destituir a presidente. o resto foi pura encenação. Os argumentos da defesa não eram levados em consideração, nada era pesado e examinado sob uma ótica dialética”, afirmou ex-ministro.

“Era um grupo de líderes em manobras parlamentares que têm um modo de agir sorrateiro. Agem às sombras. E num determinado momento decidiram {derrubar Dilma}.
Acuados por acusações graves, eles tinham uma motivação espúria: impedir a investigação de crimes por eles praticados. Essa encenação toda foi um véu que se criou para encobrir a real motivação, que continua válida.” Joaquim Barbosa ao Folha de S. Paulo. A entrevista completa você pode ler clicando aqui.

Ainda, de acordo com Barbosa, as chances do governo de Michel Temer não chegar ao fim do mandato são grandes. “É tão artificial essa situação criada pelo impeachment que eu acho, sinceramente, que esse governo não resistiria a uma série de grandes manifestações”, disse.


Mãe agride professora ao flagrar filho levando chinelada

(Foto: Amanda Barros/Arquivo Pessoal)
(Foto: Amanda Barros/Arquivo Pessoal)

A mãe de uma criança de dois anos que frequenta uma creche municipal em Praia Grande, no litoral de São Paulo, afirma que flagrou o filho sendo agredido por uma professora. De acordo com a autônoma Amanda Barros, mãe da criança, o menino apanhou com uma sandália. Ela também afirma que chegou a agredir a docente após a cena e pede uma resposta por parte da escola, já que desde o ocorrido o garoto não vai mais às aulas e a professora continua dando aula no mesmo local.

O caso aconteceu há uma semana, no dia 22 de novembro, na Escola Municipal Professora Esmeralda dos Santos Novaes, que fica no bairro Jardim Quietude. Em nota, a Secretaria de Educação  de Praia Grande (Seduc) se limitou a dizer que já tomou conhecimento do caso e deu início ao processo para apuração dos fatos.

Amanda contou ao G1 que precisou buscar o filho mais cedo na creche por conta de um compromisso. Ela disse que foi autorizada pela diretora a seguir até a sala e chamar a criança, mas quando chegou, a porta da sala de aula estava fechada. “Bati várias vezes, mas ninguém abriu a porta. Por isso eu entrei”, lembra.

Boletim de ocorrência
Revoltada com o que havia acontecido, Amanda foi até a Delegacia Sede de Praia Grande e registrou um boletim de ocorrência. Após o episódio, ela também tirou o filho da creche, mas condenou a postura da Secretaria de Educação Municipal em manter a docente.

“Isso é negligência total. Eu e meu marido estamos tendo muitas complicações para trabalhar, porque não vou deixar o meu filho voltar naquele lugar. Mas ela continua indo dar aulas e, provavelmente, fazendo isso com outras crianças, já que ficou claro que ela não tem a mínima paciência com bebês”, acrescentou.

Questionada se o filho, mesmo pequeno, já havia relatado algum outro tipo de situação semelhante, Amanda conta que o garoto dizia que “a tia brigou”. “Eu achava isso normal, que eram broncas simples, coisa de professora, sabe? Como são muitas crianças juntas, eu entendo que é necessário repreender de vez em quando. Mas nunca ia imaginar que ela batia no meu filho”, completa.

Retirado do G1


Deputados investigados votaram em peso no pacote contra operação Lava Jato

Maioria dos deputados investigados na Lava Jato votaram em causa própria e ajudaram a enfraquecer operação.

Foto reprodução
Foto reprodução

O grupo de 28 deputados investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento na Lava-Jato votou em peso contra as medidas de combate à corrupção na madrugada de ontem no plenário da Câmara. O relatório de Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foi dividido em 12 votações em separadas do trecho principal no texto original. Para ter um exemplo, a parte das 10 medidas anticorrupção, que previa a exclusão da figura do “reportante do bem” — que seria a recompensa para quem denunciar casos de corrupção — contou com 24 votos desses parlamentares. Os outros quatro se negaram a votar.

O quorum contra as ideias de Lorenzoni se manteve alto em outros pontos-chave da proposta: 21 foram favoráveis à criminalização de juízes e promotores por abuso de autoridade; 21 ajudaram a excluir do texto a criminalização do enriquecimento ilícito; 22 se manifestaram contra o confisco de bens provenientes da corrupção; e 21 se opuseram ao fortalecimento do Ministério Público nos acordos de leniência.

Em março do ano passado, o MPF apresentou as “10 medidas contra a corrupção. Mais de 2 milhões de cidadãos assinaram as propostas do Ministério Público que foram enviadas ao Congresso. Entretanto, na madrugada desta quarta-feira, mais de um ano e meio depois, os deputados federais desfiguraram o projeto inicial. A primeira atitude dos deputados na madrugada foi incluir emenda com a possibilidade de punição de magistrados e integrantes do Ministério Público por crime de abuso de autoridade.


Enfim deputados conseguem o que queriam: Lava Jato pode chegar ao fim segundo MPF

Hoje pela tarde, procuradores da Operação Lava Jato afirmaram que operação pode chegar ao fim. Eles concederam uma coletiva de imprensa onde afirmaram que podem renunciar coletivamente da operação, caso a proposta de abuso de autoridade for sancionada pelo presidente interino Michel Temer. Na madrugada desta quarta-feira (30), os deputados pulverizaram o texto das dez medidas contra a corrupção, que foi amplamente discutida e defendida por promotores, juristas e teve a assinatura de mais de 2 milhões pessoas.

 “Vamos renunciar coletivamente à Lava Jato caso essa proposta seja sancionada pelo presidente”, afirmou Carlos Fernando Lima, procurador da República.

O procurador da república, Rodrigo Janot e a presidente do supremo, ministra Cármem Lúcia, também já se levantaram contra a manobra da Câmara em proteger a classe política e até limitar e perseguir a classe jurídica.

Cabe ressaltar que o texto-base das 10 medidas havia sido aprovado antes, porém, na madrugada, com o povo dormindo e alguns ainda em estado de choque com o acidente aéreo da equipe da Chapecoense, que ceifou a vida de 71 pessoas e deixou ao menos 6 feridos graves, a Câmara dos Deputados passou a madrugada desta quarta votando emendas e derrubando vários pontos importantes da proposta.

Foto reprodução: Moro, Carlos e Dellagnol, homens de frente de batalha da Lava Jato estão atônitos
Foto reprodução: Moro, Carlos e Dellagnol, homens de frente de batalha da Lava Jato estão atônitos

A primeira atitude dos deputados na madrugada foi incluir emenda com a possibilidade de punição de magistrados e integrantes do Ministério Público por crime de abuso de autoridade.

“A força-tarefa da Lava Jato reafirma seu compromisso de avançar enquanto for possível, trabalhando ainda mais duro dentro das regras da Constituição e das leis para investigar, processar e punir a corrupção seja quem for o criminoso. Contudo, os procuradores da força-tarefa estão de acordo que não será possível continuar trabalhando na Lava Jato se a ‘lei da intimidação’ for aprovada”, disse o procurador Deltan Dallagnol.

‘Estancar sangria’

Segundo Dellagnol, a Câmara enfraqueceu o combate à corrupção, e isso acontece em um momento em que a Lava Jato chega perto de pessoas do poder. “O objetivo é estancar a sangria. “Há evidente conflito de interesses entre o que a sociedade quer e aqueles que se envolveram em atos de corrupção e têm influência dentro do Parlamento querem. O avanço de propostas como a Lei da Intimidação instaura uma ditadura da corrupção.” Essa fala do procurador, coorbora com o aúdio divulgado logo após o golpe que tirou a presidente Dilma do poder, em abril deste ano. Quando aúdios da gravação de uma conversa entre Romero Jucá, ex ministro do governo Temer, e o ex-presidente da Transpeto, Sérgio machado, foram divulgados. Relembrem o caso aqui.

Entenda o caso

Em março do ano passado, o MPF apresentou as “10 medidas contra a corrupção”. Mais de 2 milhões de cidadãos assinaram as propostas do Ministério Público que foram enviadas ao Congresso. Entretanto, na madrugada desta quarta-feira, mais de um ano e meio depois, os deputados federais desfiguraram o projeto inicial.

As 10 medidas contra corrupção que a Câmara recusou
As 10 medidas contra corrupção que a Câmara recusou

STF libera aborto no Brasil – juízes entendem que até 3° mês é permitido tirar a vida

Com informações  do Uol

 

STF decide que até terceiro mês, mães podem tirar o bebê
STF decide que até terceiro mês, mães podem tirar o bebê

STF libera aborto no Brasil – juízes entendem que até 3° mês é permitido tirar a vida, decisão foi tomada ontem no final da noite e abre precedente histórico no judiciário brasileiro.

No final da noite de ontem, terça-feira (29), uma nova jurisprudência foi dada pelo Supremo Tribunal Federal e os ministros decidiram que  não é mais  crime a prática de aborto realizada durante o primeiro trimestre de gestação – independentemente do motivo que leve a mulher a interromper a gravidez.

A decisão do STF se deu apenas em um caso, envolvendo funcionários e médicos de uma clínica de aborto em Duque de Caxias (RJ) que tiveram a prisão preventiva decretada. Porém, o entendimento da 1ª Turma pode embasar decisões feitas por juízes de outras instâncias em todo o país.

Durante o julgamento, os ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Rosa Weber se manifestaram no sentido de que não é crime a interrupção voluntária da gestação efetivada no primeiro trimestre, além de não verem requisitos que legitimassem a prisão cautelar dos funcionários e médicos da clínica, como risco para a ordem pública, a ordem econômica ou à aplicação da lei penal.

STF LIBERA ABORTO NO BRASIL
STF LIBERA ABORTO NO BRASIL

Os ministros Luiz Fux e Marco Aurélio Mello, que também compõem a 1ª Turma, concordaram com a revogação da prisão preventiva por questões processuais, mas não se manifestaram sobre a criminalização do aborto realizado no primeiro trimestre.

Em temas moralmente divisivos, o papel adequado do Estado não é tomar partido e impor uma visão, mas permitir que as mulheres façam a sua escolha de forma autônoma. O Estado precisa estar do lado de quem deseja ter o filho. O Estado precisa estar do lado de quem não deseja – geralmente porque não pode – ter o filho. Em sua: por ter o dever de estar dos dois lados, o Estado não pode escolher um“, defendeu o ministro Barroso.


Diálogos comprovam pressão que Calero sofria

Retirado do 247

Os diálogos das gravações feitas pelo ex-ministro da Cultura, comprovam pressão que Calero sofria do Palácio do Planalto. Segundo o ex-ministro o governo pressionou para liberar uma obra ilegal, que favoreceria o ex-ministro Geddel Vieira Lima; num dos telefonemas, Gustavo do Vale Rocha, subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, diz que irá encaminhar um recurso para o Iphan e para a Advocacia-Geral da União; Calero responde que não iria se envolver com o assunto; no diálogo com Michel Temer, o presidente lamenta ter sido “insistente” para que ele permanecesse no cargo.

Presidente interino pressionou ex-ministro para liberar obra irregular
Presidente interino pressionou ex-ministro para liberar obra irregular

Foram divulgadas, nesta tarde, algumas gravações feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que confirmam as pressões do Palácio do Planalto, para que ele liberasse uma obra ilegal na Bahia, onde o ex-ministro Geddel Vieira Lima tem um imóvel de R$ 2,4 milhões.

Num dos telefonemas, Gustavo do Vale Rocha, subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, diz que irá encaminhar um recurso para o Iphan e para a Advocacia-Geral da União – Calero responde que não iria se envolver com o assunto.

No diálogo com Michel Temer, o presidente lamenta ter sido “insistente” para que ele permanecesse no cargo.

Confira abaixo:

CONVERSA COM GUSTAVO DO VALE ROCHA

  • [Gustavo do Vale Rocha] Eu tô te ligando que eu tô dando entrada lá com um pedido protocolar. Então, vou protocolar o recurso lá no Iphan.
  • [Calero]
  • [Rocha] Vou protocolar uma cópia aí.
  • [Calero] Tá. Mas eu até falei com o presidente, Gustavo, eu não quero me meter nessa história, não.
  • [Rocha] É. O que ele me falou para falar era: ‘veja se ele encaminha e não precisa fazer nada’. Encaminha para a AGU. Falou isso comigo ontem, né. Aí eu falei, não, eu falo isso com ele.
  • [Calero] Bom, tá, eu vou, eu vou fazer uma reflexão aqui, Gustavo.

AS CONVERSAS, DE ACORDO COM A GLOBONEWS

  • [Calero] Oi, presidente
  • [Temer] Oi, Marcelo. Tudo bem, Calero?
  • [Calero] Como vai o senhor, tudo bem?
  • [Temer] Bem, graças a Deus.
  • [Calero] Maravilha
  • [Temer] Tô aqui por São Paulo hoje.
  • [Calero] Maravilha, presidente.
  • [Temer] Então
  • [Calero] Eu fiz uma reflexão muito grande de ontem para hoje e agradeço…
  • [Temer] Pois não
  • [Calero] Muito por o senhor ter insistido. Quero pedir a minha demissão e quero que o senhor aceite por gentileza. Porque não me vejo mais com condições e espaço de estar no governo.
  • [Temer] Interessante. Tudo bem. Se é a sua decisão, Calero, tem que respeitar. Ontem até acho que fui um pouco inconveniente, insistindo muito para você permanecer. Confesso que não vejo razão para isso. Mas você terá as suas razões.
  • [Calero] Sem dúvida

Carlinhos Vidente teria prevido queda de avião da Chapecoense

Carlinhos Vidente teria prevido queda de avião da Chapecoense, vidente teria dito isso no começo do ano de 2016
Vidente teria previsto queda de avião
Vidente teria previsto queda de avião
Em março deste ano um vidente pode ter previsto o acidente aéreo que o time da Chapecoense sofreu nesta terça-feira (29).
Carlinhos vidente participou do programa “Olga Bongiovanni” para fazer previsões para 2016. Em tom sensacionalista, Carlinhos (com a ajuda da produção do programa colocando músicas de fundo de impacto) disse: “Vou contar uma [previsão] de primeira mão também: um time inteiro de futebol vai morrer num avião. Marca o que estou falando para vocês. Isso vai acontecer em um ano ou um ano e meio“.
A apresentadora Olga Bongiovanni ainda perguntou: “Mas é um time do Brasil?“, o vidente disse: “Ainda não deu para levantar ainda se é um time do Brasil ou um time de fora“, respondeu o vidente.
Avião que levava time da Chapecoense cai na Colômbia, na região de Antioquia, aeronave tinha 81 pessoas a bordo, 76 mortes já foram confirmadas. O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29).  O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes. O avião levava jogadores, equipe técnica e funcionários da equipe de Chapecó (SC), além de jornalistas que iriam cobrir o jogo da equipe pela final da Copa Sul-Americana na quarta-feira, em Medellín, contra o Atlético Nacional.
Confiram mais notícias da queda do avião da Chapecoense.

Vejam o vídeo:


AVIÃO QUE LEVAVA TIME DA CHAPECOENSE CAI NA COLÔMBIA – Ao todo 76 mortes já confirmadas

Avião que levava time da Chapecoense cai na Colômbia, na região de Antioquia, aeronave tinha 81 pessoas a bordo, 76 mortes já foram confirmadas.

chapecoense4
Local do acidente – Foto reprodução

O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29).  O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes. Ao todo já foram confirmadas 76 mortes. O avião levava jogadores, equipe técnica e funcionários da equipe de Chapecó (SC), além de jornalistas que iriam cobrir o jogo da equipe pela final da Copa Sul-Americana na quarta-feira, em Medellín, contra o Atlético Nacional.

Segundo a imprensa local, a aeronave com o time catarinense perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília) e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.

“Foram resgatadas seis pessoas com vida, mas infelizmente uma faleceu. O restante dos ocupantes lamentavelmente faleceu. O balanço trágico é de 76 vítimas fatais”, disse o general José Gerardo Acevedo, comandante regional da polícia.

As más condições do clima só tornaram possível o acesso ao local do acidente por via terrestre, segundo autoridades do aeroporto de Medellín, onde o avião fretado deveria ter pousado.

Posteriormente o aeroporto afirmou que as buscas tinham sido suspensas por causa da chuva.

Foto reprodução
Foto reprodução

CONMEBOL SUSPENDE ATIVIDADES ATÉ NOVA ORDEM

A Confederação Sul-Americana de Futebol suspendeu até nova ordem todas as atividades competitivas depois que o avião que transportava o time da Chapecoense sofreu um acidente durante viagem à Colômbia, informou a Conmebol nesta terça-feira.

A Chapecoense chegava à Colômbia para disputar, na quarta-feira, a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

“A Confederação Sul-Americana de Futebol confirma que foi notificada por autoridades colombianas de que o avião no qual viajava a delegação do Chapecoense sofreu um acidente em sua chegada à Colômbia”, disse a Conmebol em comunicado oficial.

“Todas as atividades da Confederação estão suspensas até novo aviso”, acrescentou a Conmebol, que lamentou o acidente.

CBF defende que título seja dividido entre as duas equipes que fariam a final

A CBF sugeriu para a Conmebol que o título da Copa Sul-Americana seja dividido entre Atlético Nacional de Medellín e Chapecoense. Desta forma, o clube catarinense teria uma vaga na Copa Libertadores de 2017. A Conmebol vê a ideia com simpatia, mas não pretende tomar decisão sobre isso tão cedo.

Funcionários da Conmebol reunidos em Montevidéu disseram que não receberam nenhum pedido do Atlético Nacional de Medellín sobre o assunto.
A CBF vai se reunir nesta tarde para definir o que fazer com o jogo entre Chapecoense e Atlético-MG.